sábado, 6 de dezembro de 2008

O que falta para o Brasil?

Mas afinal... o que falta para o Brasil sair dessa lama de corrupção e impunidade?

Ha tempos que me faço essa mesma pergunta e sempre chego à mesma conclusão. NÃO SEI!
Mas ha certas coisas que são fáceis de saber, pois não precisa ser nenhum experto no assunto para descobrir. São "pequenas" pendengas infracitadas.

Posso citar aqui o ego das nossas (des)autoridades. Sejam elas quais forem: do executivo, legislativo ou do judiciário. Eles NUNCA têm culpa e a responsabilidade é SEMPRE do outro. Um exemplo público e notório é o do nosso Ministro, presidente do Supremo, que não ADMITE qualquer tipo de crítica ou que "desobedeçam" uma ordem sua. Trocando em miúdos uma frase que ouve-se muito nos escritórios de advocacia (mormente) e nos tribunais da vida:

Juízes ACHAM que são Deus. Desembargadores TÊM certeza.

ENTÃO, quem se atreve a desobedecer DEUS? Acertou que disse o juiz federal, da 3º região - SP, Fausto de Sanctis! Sou fã dele, pois além de concordar com sua fundamentação (no caso do Daniel Dantas, exemplificando), ele rebate as críticas à altura e desafia quem for por acreditar que suas decisões estão certas. E ESTÃO.

O sentimentalismo barato. Ou seja, ficar com pena de penalizar um fora-da-lei. Ontem, voltando do centro da cidade do Rio de Janeiro, de metrô, ouvi um diálogo surreal entre duas mulheres de seus 40 e poucos anos de idade em que se resume nas seguintes falas:

- Que absurdo um menino de 18 anos ficar preso tanto tempo assim! - disse uma das mulheres.
- Ele só estava roubando pra comprar comida pra família. Quem ele roubou tinha trabalho e dinheiro. Os pais dele estão desempregados e ninguém faz nada!
- E agora? O que vai ser desse menino?

Sem comentários.

O corporativismo. É algo deprimente. É a escória da escória. O "jeitinho brasileiro" que tantos os brasileiros se orgulham de ter. Tem sempre que se dar bem em tudo. Ou seja, os OUTROS é que devem cumprir com a lei. Ele mesmo, NUNCA. A falta de rigor das (des)autoridades no cumprimento de seus deveres. O descompromisso com o trabalho.

Ha tantos outros, que se eu fosse citar todos eles, o meu espaço no blogger.com se esgotaria.

Pra fechar o círculo, acabei de receber uma NOTIFICAÇÃO DE AUTUAÇÃO de uma infração de trânsito cometida por aqueles filhos da puta que nos roubaram. Agora terei mais um trabalho: PROVAR que quem estava dirigindo o carro era um filho da puta, menor de idade, que a lei protege com unhas e dentes.

SALVE A IMPUNIDADE! SALVE A ANOMIA! SALVE O BRASIL (esse vai ser difícil)!

2 comentários:

Ana disse...

Oh cara acorda!!!! Se te deixa feliz isso não é um problema do Brasil. Ou então os vícios foram herdados cá da malta lusa.

Cá todos são Deuses, vês casos de pedofilia ninguém toca nas celebridades, vês bancos fraudulentos e o estado a subir os impostos estupidamente ao pobre e a salvar bancos corruptos com dinheiro dos contribuintes.... E tinha uma lista infindável de Deuses.

Mas assino por baixo, SALVE A IMPUNIDADE! SALVE A ANOMIA! SALVE O BRASIL e PORTUGAL se não for pedir demais :D (estes juntos aí é que fica difícil)!

Guilherme Faro disse...

Aninha, cada país com seu problema. Infelizmente os nossos problemas são do tamanho do nosso país. Dá até desanimo em pensar quanta coisa tem pra mudar. São tantas coisas básicas que, as vezes, acho impossível.

Quanto a ser a influência portuguesa, não acho que seja isso, não. Quem deixou nosso país dessa forma foram os nossos governantes.

beijo